Normas de Acesso das Visitas

Conheça as normas e procedimentos de acesso aos serviços hospitalares que integram o Centro Hospitalar, nomeadamente no que se refere a visitas, acompanhantes, bem como outros acessos previstos.

Neste campo pode consultar os horários de visita do internamento nas unidades hospitalares do CHTMAD E.P.E

 

Nota: Na sequência do plano de contingência as visitas a doentes estão temporariamente suspensas.

Excetuam-se as seguintes situações:

  • as crianças internadas podem ter um acompanhante;
  • o doente em fase terminal poderá ser visitado, com autorização do médico.

Durante o período de restrição de visitas, as equipas médicas e de enfermagem transmitirão informação de forma regular ao contacto significativo, indicado pelo utente internado.

 

» Chaves

horário geral: das 11h » 21h (máximo de 2 visitas em simultâneo).

horários específicos:

   serviço de urgência (doentes em OBS): É permitida uma visita por doente, condicionada a familiares diretos ou de acordo com a vontade do doente, por períodos que não excedam os 10 minutos e no máximo de duas pessoas por dia.

 

» Lamego

horário geral: das 11h » 21h (máximo de 2 visitas em simultâneo).

horários específicos:

   serviço de urgência (doentes em OBS): É permitida uma visita por doente, condicionada a familiares diretos ou de acordo com a vontade do doente, por períodos que não excedam os 10 minutos e no máximo de duas pessoas por dia.

 

» Vila Real

horário geral: 11h » 21h (máximo de 2 visitas em simultâneo).

horários específicos:

. obstetrícia: 11h » 21h.

. Unidade de cuidados intensivos coronários: 15h 30 » 17h 30 (1 visita por cama max. 15 min. por pessoa, median- te disponibilidade do serviço)

. Serviço de cuidados intensivos: 15h 30 » 16h e 18h 30 » 19h (1 visita por cama max. 10min. por pessoa, mediante disponibilidade do serviço)

. serviço de urgência (doentes em OBS): É permitida uma visita por doente, condicionada a familiares diretos ou de acordo com a vontade do doente, por períodos que não excedam os 10 minutos e no máximo de duas pessoas por dia.

 

A política do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro E.P.E relativamente aos visitantes de doentes, é de incentivo e encorajamento à participação de familiares, cuidadores e amigos, tendo para isso um horário geral suficientemente alargado.

Visitante – toda a pessoa que pretenda contactar os doentes internados nas unidades hospitalares do CHTMAD.

Todos os doentes internados têm o direito a receber visitas, exceto nas seguintes situações:

  • Quando se verifiquem situações de ordem clínica que o justifiquem. Nesta condição, essas restrições deverão ser determinadas pelo Médico Assistente, com a anuência do Diretor de Serviço, ou por alguém em que este delegue essa função;
  • Quando os doentes comuniquem aos responsáveis do serviço onde se encontram internados que não desejam receber visitas, assinando neste caso um documento para o efeito.

» Deveres gerais

Para além dos deveres estabelecidos na lei, o visitante deve adotar uma conduta que não perturbe o normal funcionamento do serviço e deve acatar as indicações e as orientações da equipa de saúde, tendo especial atenção aos seguintes aspetos:

  • Não entrar em zona de acesso reservado ao pessoal hospitalar ou que não esteja relacionada com a realização da visita;
  • Não se socorrer da autorização de visita concedida para se dirigir a outros serviços ou visitar outros doentes;
  • Gerir o tempo de visita, no sentido de se informar da existência de outras pessoas a aguardar a sua vez de visita;
  • Não ser portador de flores na visita a doentes internados nos Serviços de Obstetrícia, Pediatria e Neonatologia, em áreas onde permaneçam doentes com afeções do foro respiratório, em áreas de cuidados a doentes imunodeprimidos e em áreas onde se executem tratamentos invasivos;
  • Proceder à lavagem / desinfeção das mãos antes e depois da permanência no serviço/ unidade das instalações do CHTMAD;
  • Preservar o asseio e não provocar qualquer dano nos bens existentes nas instalações do CHTMAD;
  • Respeitar a privacidade dos outros doentes e respetivos acompanhantes ou visitantes;
  • Evitar conversações ruidosas enquanto se processa a visita hospitalar aos doentes;
  • Não se sentar ou deitar em qualquer cama, esteja esta ocupada ou não.

Nota: é expressamente proibida a introdução e/ou consumo de bebidas alcoólicas e tabaco para os doentes, bem como fumar no interior das instalações do CHTMAD. É também proibida a introdução e/ou consumo de alimentos sem autorização prévia do médico responsável.

»  Interdições à visita

É interdito o acesso e/ou permanência de pessoas no interior das instalações do CHTMAD nos seguintes casos:

  • Quando demonstrem não estar no pleno uso das suas capacidades ou que revelem um comportamento inadequado à realização da visita;
  • Que exerçam a mendicidade dentro das instalações do CHTMAD;
  • Como visitantes, os menores de 10 anos. A título excecional podem ser autorizados os filhos ou crianças na dependência direta do doente internado, quando devidamente acompanhados por adulto que apresente documentos de identificação válidos, comprovativos do grau de parentesco (Bilhete de identidade/ Cartão do cidadão e ou Cédula de Nascimento) e assine o documento de autorização existente para o efeito.

»  Local de Visita

Sempre que a situação clínica do doente o permita, a visita deverá efetuar-se na sala de estar do serviço. Na impossibilidade de tal acontecer, a visita poderá decorrer no serviço de internamento/ enfermaria.

»  Interrupção da visita

A visita está condicionada e sujeita às limitações ou condições do serviço, nomeadamente nos casos de situações clínicas de msior gravidade ou de necessidade de cuidados médicos ou de enfermagem incompatíveis com a presença de visitantes.

Para além das razões de ordem clínica, a visita poderá ainda ser interrompida nos seguintes casos:

  • A pedido do próprio doente ou de qualquer outro da mesma enfermaria, desde que devidamente fundamentada junto do enfermeiro responsável do serviço;
  • Sempre que o comportamento das visitas comprometa o normal funcionamento do serviço.

A interrupção da visita não dá qualquer direito à sua prorrogação para além do período estabelecido quando a mesma puder ser retomada em tempo útil.

A política do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro E.P.E relativamente aos visitantes de doentes, é de incentivo e encorajamento à participação de familiares, cuidadores e amigos, tendo para isso um horário geral suficientemente alargado.

Acompanhante – a pessoa pertencente ou não à família do doente, a quem é permitida a permanência junto do doente nos termos deste regulamento, de acordo com o legalmente preceituado para os acompanhantes e nos termos e condições acordados com a equipa de saúde.

Para além das situações estabelecidas na lei e quando existam razões de natureza médica ou de enfermagem, cada doente internado poderá beneficiar da presença de um acompanhante nos termos dispostos no presente regulamento.

O acompanhante será escolhido pelo doente ou, na impossibilidade de o fazer, por um dos seus familiares, podendo o mesmo ser substituído a todo o tempo bastando para tal que essa decisão seja comunicada ao enfermeiro responsável.

Excetuando o legalmente preceituado, o reconhecimento da qualidade de acompanhante caberá ao enfermeiro responsável pelo doente.

» Deveres gerais

Para além dos deveres estabelecidos na lei, o visitante/ acompanhante deve adaptar uma conduta que não perturbe o normal funcionamento do serviço e deve acatar as indicações e as orientações da equipa de saúde, observando nomeadamente os seguintes aspetos:

  • Não entrar em zona de acesso reservado ao pessoal hospitalar ou que não esteja relacionada com a realização da visita;
  • Não se socorrer da autorização de visita concedida para se dirigir a outros serviços ou visitar outros doentes;
  • Gerir o tempo de visita, no sentido de se informar da existência de outras pessoas a aguardar a sua vez de visita;
  • Não ser portador de flores na visita a doentes internados nos Serviços de Obstetrícia, Pediatria e Neonatologia, em áreas onde permaneçam doentes com afeções do foro respiratório, em áreas de cuidados a doentes imunodeprimidos e em áreas onde se executem tratamentos invasivos;
  • Proceder à lavagem/ desinfeção das mãos antes e depois da permanência no serviço/ unidade nas das instalações do CHTMAD;
  • Preservar o asseio e não provocar qualquer dano nos bens existentes nas instalações do CHTMAD;
  • Respeitar a privacidade dos outros doentes e respetivos acompanhantes ou visitantes;
  • Evitar conversações ruidosas enquanto se processa a visita hospitalar aos doentes;
  • Não se sentar ou deitar em qualquer cama, esteja esta ocupada ou não.

São ainda deveres do acompanhante, entre outros:

  • Aprender os cuidados inerentes à situação do doente que devam ser continuados após alta hospitalar;
  • Ausentar-se da enfermaria, sempre que tal medida seja solicitado pelos profissionais de saúde.

» Direitos do acompanhante

Para além dos direitos estabelecidos na lei, o acompanhante pode, se o desejar, permanecer junto do doente internado no período das 9h00 às 21h00. Excecionalmente, nos casos devidamente justificados, esse período poderá ser alargado, mediante autorização do Diretor ou do Enfermeiro Chefe do Serviço de Internamento.

São direitos do acompanhante, entre outros:

  • Permanecer junto do doente internado no período autorizado.
  • Apoiar o doente durante as refeições;
  • Ajudar na mobilização do doente.

Nota: É expressamente proibida a introdução elou consumo de bebidas alcoólicas e tabaco para os doentes, bem como fumar no interior das instalações do CHTMAD. É também proibida a introdução e/ou consumo de alimentos sem autorização prévia do médico responsável.