Notícias Vila Real. Ministro apoia proposta para a criação de centro académico clínico em Vila Real

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro assinaram um protocolo com vista à criação de um centro académico clínico, que tem garantido apoio por parte do Ministro da Ciência Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor.

A cerimónia decorreu no passado dia 23 de março, no dia em que a UTAD completou 35 anos e contou com a presença do ministro, que revelou o seu apoio à proposta de criação do centro académico clínico e destacou ainda o papel que a academia transmontana tem desempenhado a nível nacional e internacional.

“A UTAD é uma referência na área dos estudos e das ciências veterinárias e da genética humana. Interessa agora alargar para a área biomédica e, provavelmente um dia destes, juntamente com o hospital de Vila Real, avançar certamente no estudo e no ensino da medicina”, afirmou o governante.

O protocolo assinado entre a academia e o Centro Hospitalar, visa a preparação do grupo de trabalho que vai avançar com a criação do centro académico clínico, que poderá vir a ser a base para um futuro curso de medicina.

“É um protocolo para uma proposta e a proposta tem o meu total apoio. Tem que ser, como todas as propostas, construída, desenvolvida”, afirmou Manuel Heitor.

O ministro garantiu ainda que a aprovação pela Fundação para a Ciência e Tecnologia do laboratório associado na área da veterinária e a “construção gradual de tudo o que é uma relação na área biomédica, sobretudo associada à virologia e às relações entre os animais e os homens e àquilo que são as doenças zoonóticas (doenças comuns entre homens e animais, a exemplo do novo Coronavírus)”, mostram que “claramente” a UTAD “tem a capacidade” para aqui ser criado um centro académico clínico.

Curso de medicina no horizonte da academia

O reitor da UTAD, Fontaínhas Fernandes já garantiu que o curso de medicina é algo que a academia “persegue” há longos anos, com avanços e recuos. O responsável pela academia transmontana já disse que a “UTAD está empenhada na preparação de uma candidatura diferenciadora, dando resposta a uma necessidade nacional que ficou clara, agora, com esta pandemia”.

Para além da falta de médicos, o reitor apontou ao surgimento de “uma nova tipologia de doenças que está associada com a transferência para o homem das doenças animais”.

O facto de Vila Real ter um curso de Medicina Veterinária reconhecido internacionalmente e das as alterações climáticas acelerarem o aparecimento de zoonoses, fará com que a UTAD possa concentrar um importante polo de medicina.

“Criar um curso no conceito de uma só saúde, saúde animal e humana, faz todo o sentido em Portugal e com uma linha de desenvolvimento europeia, e, por isso, é que está previsto para os dias 01 e 02 de junho, no âmbito da presidência europeia, que a UTAD seja o palco da discussão desta nova tipologia de doenças”, referiu.

Partilhar: