Notícia AVTM | Especialista do CHTMAD convidado para formar jovens médicos do norte

O diretor da imunohemoterapia do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, José Costa, foi convidado para ministrar uma formação aos jovens médicos internos de toda a região Norte.
O curso, denominado “Utilização Racional dos Componentes/Derivados do Sangue”, está disponível para todos os internos de formação geral de todas a instituições do Norte do país, através da plataforma da SPMS.
Em declarações à VTM, José Costa revelou que este convite é fruto do “reconhecimento” do trabalho que tem vindo a realizar. “Sinto que a formação teve a qualidade que se pretendia e foi aceite para todo o norte do país”, adiantando a importância dos jovens médicos terem esta informação. “A maior parte dos médicos que trabalham na área hospitalar (cirurgiões, anestesistas, oncologistas, entre outros) transcreve transfusões, por isso é importante para a sua evolução, uma vez que a iniciativa de prescrever uma transfusão vem do médico assistente do doente, nós, que somos mais especializados, ficamos na retaguarda”.
Além disso, acrescenta, “é fundamental” que os jovens médicos tenham conhecimentos gerais sobre o uso criterioso dos componentes sanguíneos, para darem “mais segurança ao doente, facilitar a comunicação com os médicos de imunoterapia, e façam a articulação da atividade clínica com os nossos serviços, o que vai melhorar em muito a qualidade da assistência aos doentes nos hospitais”.
Natural do Porto, José Costa é médico desde 1986. Veio para Vila Real há 23 anos, altura em que acabou o internato na especialidade de imunohemoterapia, decidiu abraçar o desafio de criar o serviço no CHTMAD.
“Era um serviço muito rudimentar, por isso estou satisfeito, mas gostaria de ter feito mais. No entanto, no nosso país, os serviços são muito espartilhados e condicionados, devido à falta de verbas e à dificuldade em trazer profissionais para o interior, sobretudo médicos”.
Esteve durante vários anos sozinho com esta especialidade, mas agora já há uma equipa de três elementos, o que, na sua opinião, “é manifestamente insuficiente para a dimensão deste centro hospitalar, que tem três hospitais, distanciados uns dos outros, o que nos obriga a grande dedicação”.

» Notícia 

Partilhar: